Politics

Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, é preso pela PF

Alexandre de Moraes sustenta na decisão que ele teria violado os termos da prisão domiciliar.

Acaba de ser preso o ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro, após vazamento de áudio em que Mauro Cid diz que Alexandre de Moraes “é a lei” e “prende e solta quando quiser”.

Ele também afirmou que Moraes “já tem a sentença pronta” para condenar Bolsonaro e aliados. O próprio Moraes ordenou a prisão de Cid.

“Você pode falar o que quiser. Eles não aceitavam e discutiam. E discutiam que a minha versão não era a verdadeira, que não podia ter sido assim, que eu estava mentindo”, diz Cid em um dos trechos do áudio.

Ainda de acordo com o militar, os investigadores já estão com a “narrativa pronta” sobre o caso. Além dos atos golpistas, o tenente-coronel menciona a investigação sobre a suposta falsificação no cartão de vacinação de Bolsonaro – que levou aos indiciamentos do próprio Cid, do ex-presidente e de outras 15 pessoas.

Alexandre de Moraes sustenta na decisão que ele teria violado os termos da prisão domiciliar (descumprimento das cautelares) e ainda diz que Cid está obstruindo a justiça.

Em áudios publicados pela revista Veja, o tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), afirma que foi coagido por integrantes da Polícia Federal (PF) durante seus depoimentos no âmbito do inquérito que investiga uma suposta tentativa de golpe de Estado no Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *