General

Tijucas tem caso confirmado de raiva animal

No início deste mês de dezembro, Tijucas registrou um caso de raiva em um animal. Em resposta, a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) iniciou um chamado urgente para a vacinação de animais herbívoros em propriedades rurais.

A ação preventiva busca proteger a saúde animal e humana, dado que a raiva é uma doença viral fatal sem cura ou tratamento.

Para mais informações, os moradores de Tijucas e regiões próximas podem acessar o site da Cidasc (www.cidasc.sc.gov.br). Lá, encontrarão detalhes sobre a raiva, as práticas de vacinação recomendadas e as medidas a serem adotadas para garantir a sanidade dos animais.

ENTENDA SOBRE A DOENÇA

A raiva animal é uma doença viral que afeta mamíferos, incluindo humanos, e representa uma séria ameaça à saúde pública e animal. Causada pelo vírus do gênero Lyssavirus, a raiva é transmitida principalmente através da mordida de animais infectados, como cães, morcegos, gatos e animais silvestres.

Os sintomas da raiva em animais incluem mudanças comportamentais, agressividade, paralisia e morte. Nos seres humanos, os sintomas são fatais uma vez que aparecem, destacando-se a febre, dor de cabeça, excesso de salivação, espasmos musculares, paralisia e delírios. A transmissão ocorre quando a saliva de um animal infectado entra em contato com feridas abertas ou mucosas.

A principal medida de prevenção contra a raiva é a vacinação de animais domésticos, especialmente cães e gatos. A vigilância epidemiológica e o controle de animais silvestres e semidomésticos também são essenciais para prevenir surtos da doença. Em áreas rurais, a vacinação de animais de grande porte, como cavalos e gado, é igualmente importante.

A educação pública sobre como evitar mordidas de animais e o manejo seguro de animais suspeitos de ter raiva são fundamentais. Isso inclui evitar o contato com animais selvagens e reportar casos suspeitos às autoridades de saúde.

No Brasil, a legislação exige a vacinação anual de cães e gatos contra a raiva. A não vacinação pode resultar em multas e outras penalidades. A raiva é uma zoonose, o que significa que pode ser transmitida de animais para humanos, ressaltando a importância da prevenção e controle eficazes para proteger a saúde pública.

A raiva, embora controlada em muitas regiões, ainda representa um risco significativo em áreas onde a vacinação animal não é efetivamente implementada. O compromisso contínuo com as práticas de prevenção e controle é muito importante para a erradicação da doença.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *