General

“Para homenagear a chapecoense”: prefeito de cidade da Colômbia recria avião da tragédia

A tragédia do voo LaMia 2933, que resultou na morte de grande parte da equipe da Chapecoense, além de jornalistas e tripulação.

A cidade de La Union, vizinha a Medellín na Colômbia, foi palco de uma controvérsia que reverberou fortemente na comunidade local e entre os brasileiros.

Uma réplica de avião, parte da decoração natalina da cidade, gerou grande comoção e indignação, especialmente por representar o avião da tragédia que vitimou a equipe da Chapecoense em 2016. A estrutura, confeccionada em alumínio, tinha como intenção homenagear as 71 vítimas do acidente, que completa sete anos nesta terça-feira.

A iniciativa, entretanto, não foi bem recebida pela população. Muitos moradores e usuários das redes sociais expressaram descontentamento e criticaram duramente a decisão de usar a réplica do avião como parte das celebrações natalinas. Diante da repercussão negativa, o prefeito de La Union, Edgar Osorio, decidiu remover a instalação e emitiu um pedido de desculpas público.

Em suas palavras, o prefeito esclareceu que a instalação não tinha a intenção de ofender ou ferir a sensibilidade de ninguém, mas reconheceu o desconforto que causou à comunidade. Ele afirmou que a decisão de retirar a réplica foi tomada pensando nos “irmãos brasileiros”, lembrando que muitos familiares das vítimas e sobreviventes do acidente frequentemente visitam a cidade em memória da tragédia. Além disso, Osorio mencionou que eventos religiosos e institucionais estão previstos para marcar a data, e reiterou seu pedido de desculpas caso alguém tenha se sentido ofendido pela réplica.

A tragédia do voo LaMia 2933, que resultou na morte de grande parte da equipe da Chapecoense, além de jornalistas e tripulação, é lembrada anualmente. A queda do avião foi atribuída à falta de combustível, e o acidente deixou apenas seis sobreviventes, incluindo três jogadores do clube.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *